Hoje eu quero falar sobre o Sol

BE4AE2B5-FA2F-464F-B9FF-D46FC61B4B65

Pôr-do-Sol em Koh Lipe, Tailândia

Escrevi este texto há praticamente um ano na Ásia depois de um retiro de 10 dias em silêncio e continua a ser um texto que gosto de ler para me lembrar que o Sol nasce sempre. Decidi partilhá-lo com vocês. ❤️

“Este texto foi escrito numa das tantas vezes que vi emocionada o Sol a pôr-se. Escrevi-o no meu diário da viagem e agradeci à vida por todas as pequenas grandes coisas que ela me dá.

Hoje eu quero falar sobre o Sol.
Eu confesso, eu adoro ver como ele nasce todas as manhãs e as cores que provoca no céu. Adoro ver como ele brilha sobre a água.
Todas as tardes eu quero poder sentar-me com a minha chávena de café, a minha música, o meu livro e o meu cigarro e vê-lo descer calmamente até desaparecer. Eu deliro com o contraste do amarelo, do laranja e do vermelho do céu quando o Sol se põe com o azul do mar. E isso chega-me para ser o ponto alto do meu dia. Às vezes deixo-me ficar pela noite dentro e fico ali sentada só a pensar na sorte que tenho por poder admirá-lo mais um dia.
Todas as manhãs o Sol brilha, mesmo quando não o vemos e todas as noites ele se afunda no horizonte. E mesmo depois de se afundar, no dia seguinte ele está pronto para brilhar mais uma vez.
Quando eu tinha 6 anos, acordei e a minha mãe não estava lá.
E o Sol nunca parou de brilhar.
Na escola sofri de bullying.
E sempre que eu olhava para cima, o Sol estava lá, a brilhar.
Com 17 anos fugi de casa com uma mochila mais pequena que esta que ando a viajar.
E o Sol, lá estava, no lugar dele, a brilhar.
Eu já caí algumas vezes e mesmo quando estava no chão eu pude ver o Sol a brilhar.

Então obrigada Sol, por a cada novo dia, me reiniciares.
Brilhas esplendorosamente, não importa o que aconteça.
E essa é a grande lição que tiro desta viagem. Obrigada por me fazeres acreditar que a cada dia que nasces, há um novo começo para mim também, uma oportunidade de fazer diferente, uma nova forma de ser feliz.
E agora, a cada nascer do Sol eu estou feliz, de cada vez que o Sol se põe eu estou feliz, a cada paisagem que conheço eu estou feliz, cada sorriso que esbarra em mim faz-me feliz.
E a verdade é que esta felicidade não vem deles. Não é por causa deles. É de mim. É por mim. Esta felicidade, ela reside em mim. Eu só precisava de a encontrar. Passei anos a procurar esta felicidade nos outros, em pessoas, em coisas. Colecionei amores, malas e sapatos. Enchia a minha casa e o meu coração para compensar a minha alma vazia. E não entendia porque é que nunca resultava com ninguém, porque é que a mala perdia a graça passado uns dias, porque é que os sapatos ficavam esquecidos num canto.
Eu entendi que o problema não era deles. Era meu. Eu é que não sabia o meu lugar no mundo. Eu tentava encontrar neles o que sempre esteve em mim.
E agora quando me sento com a minha chávena de café a contemplar o Sol eu tenho o coração cheio de plenitude e felicidade.

Descobri que está tudo aqui. Só precisamos de prestar atenção. ❤“

11 thoughts on “Hoje eu quero falar sobre o Sol

  1. Simplesmente de ♥️ Cheio a ler isto! Infelizmente sou uma pessoa de reclamar! Tenho que olhar mais para a natureza e agradecer! Obrigada🙏

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s